Ir para o conteúdo

É preciso falar sobre depressão infantil 

É preciso falar sobre depressão infantil 

A morte de um menino de 13 anos, aluno do Colégio CEI de Mirassol, por suicídio, chocou familiares, amigos e até quem nem conhecia o garoto. A morte precoce por depressão é algo que deixa todos assustados.

Por isso, é preciso falar em depressão infantil. Sim, ela existe.

Muitas pessoas podem acreditar que não, afinal, vemos muitos casos de jovens, adultos e idosos com depressão, mas quase nada sobre crianças. Embora não seja muito frequente, elas também podem sofrer com o transtorno.

A manifestação da depressão na infância é de difícil identificação. Como a criança está em desenvolvimento, por vezes, os pais percebem certas atitudes e comportamentos como parte desse processo.

Além disso, as crianças normalmente se mantêm em silêncio sobre o que estão sentindo. Isso porque elas não têm o mesmo entendimento que um adulto possui sobre suas emoções e pensamentos. Quantos de nós, quando crianças, compreendíamos a gravidade de uma doença? A responsabilidade, então, recai sobre os pais.

Estatísticas mostram que o índice de depressão infantil no Brasil varia entre 0,2% a 7,5% para crianças abaixo de 14 anos. Na idade pré-escolar, a ocorrência é menor do que na fase próxima da adolescência.  Ainda assim, vale ficar de olho para prevenir o desenvolvimento da doença no futuro.

Também é importante ressaltar que nas crianças os sinais da doença são bem diferentes dos adultos, pois elas podem ser jovens demais para nomear seus sentimentos. Por esta razão, elas podem somatizar o transtorno, passando a reclamar de dores em diversas partes do corpo.

Vale a pena terapia na infância e também levar a um psiquiatra, caso alguns desses sintomas apareçam. Fique atento!

Publicidade

Matérias Relacionadas
×
Cookie

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Saiba mais.

Fechar