Ir para o conteúdo

Investigado pelo MPRN, Gastroprocto diz que é autorizado a realizar cirurgias de baixa e média complexidade e que possuir ambulância não é uma exigência

Investigado pelo MPRN Gastroprocto diz que é autorizado a realizar cirurgias de baixa e média complexidade

Em meio à investigação do Ministério Público sobre a morte da oficial de justiça Natália Araújo em uma cirurgia plástica realizada nas dependências do Hospital Gastroprocto de Natal pela equipe do médico Paulo Duarte, a unidade de saúde se manifestou através de uma nota. No documento enviado à imprensa, o hospital esclarece sobre pontos levantados pelo promotor Alexandre Cunha Lima e pela imprensa nos últimos dias.

A diretoria diz que o hospital tem autorização dos órgãos fiscalizadores para realizar cirurgias de baixa e média complexidade e que ter ambulância nas dependências do local não é uma exigência.

Já o médico Paulo Duarte ainda não se posicionou sobre o assunto.

Natália morreu no dia 6 de fevereiro após realizar uma cirurgia de correção de diástase e lipoaspiração. Ela tinha 36 anos e deixou uma filha de 1 ano de idade.

 

Leia a nota da Gastroprocto na íntegra:

Sobre as notícias veiculadas na imprensa, que questionam a conduta e estrutura do Hospital Gastroprocto, a Direção Geral desta unidade vem esclarecer:

 

DA ESTRUTURA:

O Hospital Gastroprocto conta com uma estrutura hospitalar que anualmente passa por fiscalizações rígidas dos órgãos de fiscalização, como, CREMERN, COREN-RN, Ministério do Trabalho, ANVISA, Corpo de Bombeiro etc. Atualmente, estando com todas as documentações conforme os órgãos fiscalizadores nos solicitam para o devido funcionamento.

 

DAS DOCUMENTAÇÕES:

O Hospital Gastroprocto possui toda documentação, conforme deliberação do Conselho Regional de Medicina e Covisa, para seu funcionamento nos moldes atuais que funciona e para realização de cirurgias, de baixa e média complexidade, como os demais hospitais de mesmo porte.

 

DA SEGURANÇA MÉDICA:

O Hospital Gastroprocto possui o Programa de Segurança do Paciente e o Programa de Cirurgia Segurança, os quais foram idealizados pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e são regidos pela ANVISA, que tem como finalidade oferecer uma assistência segura aos pacientes e aos profissionais de saúde, através de normas rígidas a serem cumpridas por meio de protocolos previamente estabelecidos.

Em virtude disso, houve significativo investimento tecnológico, que foi uma mudança de paradigma, no Estado, com implementação de tecnologias para o ato anestésico e para o ato cirúrgico, prezando prioritariamente pela segurança do paciente.

 

DAS NECESSIDADES:

Disponibilizamos de 8 (oito) leitos de internação, 16 (dezesseis) leitos ambulatoriais, 4 (quatro) salas de cirurgias, 6 (seis) leitos de SRPA (salas de recuperação pós-anestésica) e 1 (uma) sala Semi-Intensiva; com todos os ambientes fiscalizados e aptos pelos órgãos supracitados. Assim como os demais hospitais de mesmo porte do Hospital Gastroprocto, de atendimentos de baixa e média complexidade, não disponibilizamos de UTI dos tipos II e III, que são para atendimentos de alta complexidade. Esclarecemos, que estão todos os hospitais em condições semelhantes, tendo em vista as legislações vigentes.

Sobre o questionamento da presença de ambulância nas dependências do Hospital de forma permanente, esclarecemos que não é uma exigência feita para os hospitais. Para isto, contamos com serviços terceirizados que funcionam sob necessidade e solicitação médica.

 

DO DIFERENCIAL:

A grande mudança nos atendimentos veio com a criação do protocolo ERAS (Enhanced Recovery After Surgery), na Dinamarca. Um conjunto de protocolos que permite uma recuperação mais rápida e segura ao paciente. O que ocasionou uma mudança, a nível mundial, no índice de mortalidade pós-operatória, associado a uma diminuição de casos de infecção hospitalar.

 

DA EQUIPARAÇÃO:

Ressaltamos que respeitamos a opinião pública, os órgãos fiscalizadores, os órgãos da justiça e esperamos que as nossas informações sejam recebidas por estes como forma de restabelecer a verdade do Hospital Gastroprocto, que em seus 23 (vinte e três) anos de funcionamento, no Rio Grande do Norte, tem como missão DIAGNOSTICAR E TRATAR COM FOCO NO SER HUMANO.

Diariamente, algumas dezenas de colaboradores saem de seus lares para assistir aos pacientes, os quais temos muito respeito e para quem existimos. Pedimos, humildemente, discernimento nas atitudes e nos julgamentos.

 

DA CONCORDÂNCIA:

A direção do Hospital Gastroprocto está à disposição para, com responsabilidade, prestar quaisquer esclarecimentos necessários aos órgãos competentes. E, acredita ser positivo o envolvimento de todas as instituições hospitalares de mesmo porte do Hospital nos questionamentos; com o objetivo de esclarecer para a opinião pública a importância da existência dos hospitais para cirurgias de pequena e média complexidade, especialmente para o Estado do Rio Grande do Norte.

 

DA CONFIANÇA:

Esperamos que haja respeito as pessoas que acreditam e confiam no Hospital Gastroprocto, bem como em nossos colaboradores, prestadores de serviço, corpo clínico e a nossos pacientes, a quem nos dedicamos diariamente.

Por fim, renovamos nossos votos de solidariedade aos familiares e amigos queridos da paciente (nome preservado pelo sigilo médico-paciente).

Permanecemos à disposição para todos os esclarecimentos necessários.

Atenciosamente, Direção Geral do Hospital Gastroprocto.

Publicidade

  • Anuncie Aqui Branco Post
  • Anuncie Aqui Rosa Escuro Post
Matérias Relacionadas
×
Cookie

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Saiba mais.

Fechar