Ir para o conteúdo

Sejam Brendas 

Brenda Oliveira tinha apenas 26 anos. Era daquelas garotas determinadas, corajosas.

Já havia estagiado em delegacia ainda estudante, começou a trabalhar desde cedo e exercia sua profissão com paixão.

Mas a sua vida foi interrompida nesta terça-feira à tarde quando saía de uma delegacia de polícia no município de Santo Antônio do Salto da Onça. Ela acompanhava seu cliente, acusado de assassinar um vaqueiro na última semana. O cliente morreu ao seu lado, dentro do carro de Brenda.

A advogada morreu “de graça”. Fazia apenas o seu trabalho.

A corajosa jovem, que decidiu naquele dia postar uma defesa de seu cliente em rede social e acabou por confirmar a localização dos dois e que deu carona para ele após o depoimento, foi brutalmente assassinada.

Eu me vejo em Brenda. Como jornalista, quantas vezes me arrisquei por uma boa história.

Nós, mulheres, somos mais sensíveis e empáticas. Porém, muitas vezes nos sentimos imortais, invencíveis, diante de uma missão.

Aos familiares, amigos, solidariedade, força para enfrentar o momento difícil.

Um pedido às autoridades, sejam Brendas. Tenham a coragem de Brenda, a empatia da jovem, a sede de justiça dela.

Publicidade

Matérias Relacionadas
×
Cookie

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Saiba mais.

Fechar